18.11.10

Carência

E essa carência que mata,
feito sede mal tratada,
feito fome mal comida.

Essa carência que toma conta do corpo
envenena a alma
entristece o espírito

Leva embora
a calma.

Essa carência.

Esvai o raciocínio
Transforma pulsões
em álcool.

Nos faz pobres, tristes e infelizes.

Sentimento que dá
e não quer passar.

(des) Amor
puro e simples.

Um comentário:

Melina disse...

Engraçado é gostar de alguém como poeta e como poesia.
É assim com você.

Um abraço para a sua carência