17.5.09

Ontem

Vou preparar chá de limão porque você não gosta de café. Colocar o vídeo para funcionar e procurar algum filme bom para vermos juntos. Vou cozinhar aquele ensopado que você comeu e disse que estava maravilhoso e não vou assistir ao jogo hoje, porque sei o quanto isso te chateia. E quando você chegar, vou te falar das amenidades da minha vida e tentarei fazer você rir. Vou perguntar como foi a viagem e se você teve cuidado porque o ar daquela cidade não é muito bom e eu não quero ver você com nenhuma enfermidade. Vou perguntar se você se divertiu e das suas aventuras no estrangeiro e vou torcer para que sim, porque a sua felicidade é a minha felicidade.

Vou comprar um vinho para tomarmos juntos e vou ficar do seu lado, espantado com o seu doce sorriso e o jeito que você enrola os seus cachos pretos com seu dedo da mão esquerda e procura sempre a melhor palavra para me falar. E vou ouvir você falar com um sorriso no rosto e uma paz na minha alma. E vou querer ver em que você mudou e procurarei isso no seu comportamento e nos seus detalhes e vou imaginar um pedido de casamento ali, por minha parte, porque novamente terei certeza que gosto de você mais do que tudo e que poderia morrer ali, engasgado em suspiros poéticos e sentimentos doces.

E aí, quando o vinho subir à cabeça e minha língua ficar mais solta, vou falar do sentimento imensamente lindo que sinto por você e da minha vontade de estar com você, meu doce dragão. Vou quebrar todas as regras e tentar te dizer as palavras mais bonitas que você me inspira e vou arriscar tudo, porque ser só teu amigo me machucaria mais do que me faria bem. E vou hesitar e minhas pernas irão tremer ao esperar, dos seus olhos, dos seus lábios, uma resposta para aquela rídicula e sincera tempestade sentimental.