3.1.06

A Saga do Homem Sem Sorriso III

E com aquelas palavras, sob o olhar lacrimoso da bela mulher à sua frente, levantou-se. Pegou um velho mapa da cidade que estava depositado sob o criado mudo, ao lado da sua cama. Ia morrer mesmo, pensava enquanto com o dedo procurava a trajetória mais próxima para o Beco Escuro.

Ela o olhava admirada. Nunca um homem fora capaz de demonstrar tanta coragem por ela. Nem mesmo quando seus olhos ainda tinham luz. Lembrava bem daqueles cafajestes que passaram pela sua vida apenas para destroçar toda a idéia que tinha sobre o amor. O último teve a audácia de levar a outra para sua própria cama e ali fazer tudo aquilo que sempre fizera com ela. O desespero então foi tanto que quase matou ambos e a fez vender a luz dos seus olhos para uma velha senhora que dizia que se ela o vendesse, conseguiria encontrar o seu amor. Mas dois anos se passaram e ela só encontrou lágrimas.

- Vou com você. Ela disse. Não posso deixar ir sozinho em busca de algo que é meu.

Ele encarou-a com seriedade e notando a veracidade do seu argumento, disse:

- Tudo bem, pegue o casaco que está em cima da minha cama. A chave do carro está lá.

Era um casaco novo de uma marca estrangeira de nome difícil de pronunciar. À frente havia um pequeno bolso onde estava a chave do carro. Deu as chaves para ele e vestiu o casaco, confrome ele pedira.

Sairam ao anoitecer e cortaram a cidade à caminho do Beco Escuro. Nenhum deles pronunciou sequer uma palavra enquanto estavam a caminho. Ela apenas chorava e ele mantinha aquela expressão séria e triste que a falta do sorrisa houvera lhe dado. A apenas um quilômetro do destino viram uma placa que dizia que a rua estava interditada. Pararam então o carro ao lado de uma casinha antiga. Era uma casinha pequena e pela forma a qual foi constuída notava-se que era antiga.

Bateram a porta. Precisavam urgentemente usar o banheiro. Após três batidas lhes abrem a porta uma bela jovem que aparentava uns 15 ou 16 anos de expressão forte e curiosa. Usava um óculos de aros presto que cobria seus olhos castanhos e indagadores.

- Ahh, vocês devem ser O Homem Sem Sorriso e Moça das Lágrimas? entrem, estava esperando por vocês.

Os dois ficaram pasmos ao ouvirem seus nomes e seus problemas, então ela falou denovo.

- Sou a Menina das Sacadas Geniais e ajudarei a vocês a encontrar o que precisam.

ps. TO BE CONTINUED