9.2.05

Em Busca da Terra do Nunca

Fui ao cinema domingo, com a esperança de ver algum filme que preste, e me deparei com um tal de Em Busca da Terra do Nunca, já havia visto o trailler, sabia que tinha 6 indicações para o oscar, e que contava com um elenco de peso, como Johnny Depp e Kate Winslet, decidi então pagar para ver.

Eu(que não havia lido a sinopse) esperava uma ficção infantil que se passase na terra do nunca, ou algo parecido, com um tipo de Peter Pan adulto, com aquele típico final feliz, provando para todo mundo que o Peter Pan ainda existia e bla, bla, bla(considerando os atuais filmes hollywoodianos, era bem capaz que realmente fosse assim), mas me enganei. Com uma atuação exemplar, de Jonnhy Depp, uma roteiro muito bem adaptado de David Magee, uma direção impecável de Marc Foster, o filme consegue fazer voar 102 minutos num mundo mágico e teatral de Sir James Matthew Barrie(Johnny Depp), e Peter Llewelyn Davies(Freddie Highmore), e suas brincadeiras, discussões e dramas que fizeram surgir um clássico das histórias infantis, Peter Pan.

O Filme se passa em Londres, no inicio do século XX e conta a história de um dramaturgo inglês, Sir James Matthew Barrie(Johnny Depp) que numa crise de inspiração, e um belo dia passeando em um parque encontra Peter Llewelin Davies(Freddie Highmore) e sua familia, que vivem num período de dificuldades emocionais e financeira após a perda de seu patriarca, e nesse contexto surge um relacionamento emocional, regado a brincadeiras recheadas de emoção e de imaginação, entre Barrie e os Davies, e fazendo assim renascer no espirito de Barrie a inspiração necessária para a criação de uma novo sucesso, que nada mais se resume em suas brincadeiras com os filhos e com a própria Sylvia Llewelin Davies(Kate Winslet), criando uma relação de amor entre Barrie e os filhos de Sylvia e de uma forma de amor platônico entre Sylvia e James, quebrada por um fim que fica muito dificil de segurar as lagrimas.