6.11.08

não há porque mentir
nossa distância já não é a próxima
nossas línguas já não é a mesma
nossas mãos não são mais uma

não há porque mentir
o sofrimento agora é imprescindivel
a dor acabou de chegar
todo rompimento é duro
todo fim é necessário

Não há para onde fugir
pego agora a minha mala
limpo as minhas lágrimas
fecho essa porta
e levo comigo

a verdade que eu nunca quis.