2.11.06

O Vinho

Desce vinho, desce.
Desce e mostra o que és capaz
mostra a eles, vinho, o que podes fazer
mostra a ela o que ela te é.
Desce vinho, desce.

Desce doce e suave
desce para eu poder sentir ela, vinho, desce.
Desce para que eu contemple a beleza dela
desce para imagina-la
e imaginar
os seus belos lábios tocando os meus
os seus belos olhos olhando os meus
o seu belo corpo...

Desce, vinho, desce.
Entorpeça-me com o seu efeito
balançe o mundo
faça com que para mim
só exista ela
essa tão perdida ela
que se acha atrás daqueles olhos.

Desce, vinho, desce.
E acabe com essa agonia.