16.4.06

Sadismo

Sabe, eu acho que o destino(ou sejá lá o que for) foi cruel comigo. De uma crueldade sarcasticamente fria, eu diria. Por quê? Ah, simples. Ele me fez gostar de escrever e querer trabalhar com isso.

A cada dia que passo, me convenço mais e mais que vou morrer apenas com a compania dos meus textos. Talvez jogado num apartamento no meio de um grande centro urbano, em frente a um computador escrevendo-os, por mais medíocres que sejam, chorando os meus amores perdidos e, se eu tiver algum tipo de sorte na minha vida, escrevendo alguma coisa para algum jornal mediano afim de garantir a comida na minha mesa.

O seja-lá-o-que-for consegue ser tão sarcástico que, como se ainda não bastasse, me faz gostar desse futuro. É, amigos leitores, isso mesmo que vocês leram, eu gostaria disso tudo e se, talvez, eu morrer assim, jogado num apartamento a escrever textos medíocres, podem ter certeza, terei morrido feliz. O mais engraçado nisso tudo é que eu não consigo encontrar uma explicação óbvia e racional para isso. É apenas um gosto sádico que tenho de escrever aquilo que imagino ou aquilo que eu sinto e um gosto igualmente irracional pela a experimentação da solidão. Podem me chamar de louco. Mas é isso.

O pior de tudo reside no fato da minha (total)falta de talento para escrever. Isso me lembrou uma situação que me ocorreu alguns dias atrás, quando uma professora do meu curso, não satisfeita em dizer que jornalista, principalmente formado no nordeste, dificilmente tem um futuro profissional promissor, disse que se algum de nós quer se tornar escritor, acenda umas velas, tenha muito talento e escreva aquilo que a cultura de massa quer ler. Ou seja nada de poesias, nada de textos com uma significação poética, nada de dramas. Só comédias e/ou histórias que envolvam sexo para poder ter uma minima chance do seu livro ser publicado e ser vendido. Coisa que sinto dificuldade.

Resumindo, não preciso de cartomantes e cia para prever meu futuro. Tenho certeza que o dinheiro não fará parte dele.

Ps. Sim, sou dramático!