28.7.08

Paquera

Te olho nos olhos
conto da minha vida
falo lá de filmes
livros e poesia
digo o que gosto
e o que não gosto
ouça falares do teatro
das performances
do balé contemporâneo
de 'Drummond', o melhor
recito Leminski
tento embalar uma dança
ser tua companhia
ou tudo o que tu precisas
falo do teu perfume
que perfume!
rimos
tento te roubar
um beijo só
só esse
nada.
só aí é que percebo
eu estou sendo roubado
mas é por dentro.
O tempo passa
te levo em casa
nos despedimos
vou embora
seu perfume no meu corpo
algumas boas lembranças
alguns sorrisos bobos
outros de arrependimento
mas um bocado de versos
dentro do meu peito
ansiosos para tomar forma
e falar do encanto
que senti naquela noite;