29.4.08

Escuridão

Escuto
Escuro
Por dentro
dos muros

Escuto
Escuro
em meio
aos surdos

Escuto
Escuro
em meio
aos cegos

Escuto
Escuro
em meio
aos mudos

Escuto
Escuro
dentro de mim...

Escuto
Escuro
dentro
de tudo

Escuto
Escuro
Nesse universo
recheado de loucos

Escuto
Escuro
dentro
de você

Escuto
Escuro
a
mim

Escuto
Escuro
essa melodia
surda, esse pandeiro
parado;
essa cantora,
muda

Escuto
Escuro
esse verso
sem nexo
sem eira
nem beira
cego;

Escuto
Escuro
os meus olhos
semi abertos
invisiveis
que não passam
de meros enfeites

Escuto
Escuro
tudo
o que tem
e o que estar
por vir
e o que virá

Escuto
Escuro
Você
melodiosamente
surda
encantadamente
cega
e lindamente
muda

Escuto
Escuro
Por trás
desses malditos
muros
que não me deixam
passar
sequer
pensar

Escuto
Escuro
essa tristeza
que é o mundo
e essa beleza
que é a vida
tão cega
tão surda
tão muda

Escuto
Escuro
porque
agora
eu não passo
de um cego
surdo e mudo
a ouvir
essa melodia
quase sem futuro

*desabafo