12.8.06

Se você me der uma câmera, faço um filme para você

Se for rosas, faço-te um jardim.

Se me der papéis, interpreto quem quiser.

Se me der um livro, decoro para surpreender você.

Uma cadeira... Subo em cima dela e declamo uma poesia.

Se me der massa, faço a mais bela escultura.

E se for areia? Não faz mal, te chamarei e então construiremos nosso castelo.

Agora, se for lápis, papel e um pouco de tempero, não tem para onde correr, porque te farei uma poesia.